segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Contaminação Cosciente - Cinema (Ocultismo e Violência)

A Ilusão Avatar

O sucesso de “Avatar” foi bilionário. Os efeitos visuais do filme de J. Cameron são mesmo incríveis -- assisti em 3D. A mensagem central é alinhada ao que tem sido considerado politicamente correto pelo paradigma socialoide, tanto antropológica como ecologicamente. Milhares de povos têm sido de fato destruídos ao longo da história por causa da ganância império-colonialista, que passa como um rolo compressor por cima de terras, casas, referências culturais, corpos e o que mais for preciso em nome do lucro.

Tangencialmente somos informados que a Terra já teria seu habitat destruído -- e agora vemos os homens (machos brancos) exportando para os limites da galáxia a cultura de exploração destrutiva, garantida por tropas militares (mercenários sem bandeira, mas que se comunicam no idioma do mercado...), enquanto os frágeis (mulher e deficiente físico) salvam o mundo imaginado no espaço. Uma projeção na telona das angústias e anseios da humanidade.


 Então, a mensagem de preservação de povos, culturas e o meio ambiente é bacana e necessária. Porém chamo a atenção para a teologia (o discurso sobre o deus, o divino, a deidade) que é sedimentada na mente dos expectadores "almiabertos" (boquiabertos). Não é questão de demonizar a produção e não assistir ao filme, mas de saber os corantes e conservantes que o compõem e aos quais somos expostos (e que não são informados na embalagem) e que, em alguns casos, colateralmente, poderão redundar nalgum câncer espiritual.

 Cito a Wikipédia, por ser uma referência popular: "Avatar é uma manifestação corporal de um ser imortal, segundo a religião hindu, por vezes até do Ser Supremo. Deriva do sânscrito ‘Avatāra’, que significa ‘descida’, normalmente denotando uma (religião), encarnações de Vishnu (tais como Krishna), que muitos hinduístas reverenciam como divindade... Qualquer espírito que ocupe um corpo de carne, representando assim uma manifestação divina na Terra...” Quando essa forma impersonalizada de Deus transcende daquela dimensão elevada para o plano material do mundo, ele -- ou ela -- é conhecido então como a encarnação ou Avatara... Em uma concepção mais abrangente, a encarnação poderia ser descrita como o corpo de carne. Mas essa concepção seria talvez errada, conquanto tais formas divinas não se tornam reais seres de carne e osso, ou assumem corpos materiais.


Uma alma comum assume corpos materiais de carne e osso, mas no caso dessa manifestação divina, seu corpo e sua alma transcendem a matéria e, embora apareçam como impersonalizações, aquele corpo também pertence a sua essência espiritual... Essa palavra “Avatar” se tornou popular entre os meios de comunicação e informática devido às figuras que são criadas à imagem e semelhança do usuário, permitindo sua "impersonalização" no interior das máquinas e telas de computador... Tal criação assemelha-se a um avatar por ser uma transcendência da imagem da pessoa, que ganha um corpo virtual, desde os anos 80, quando o nome foi usado pela primeira vez em um jogo de computador... Mas a primeira concepção de avatar vem primariamente dos textos hindus, que citam Krishna como o oitavo avatar -- ou encarnação -- de Vishnu, a quem muitos hindus adoravam como um Deus”.

Não há como ignorar o componente teológico envolvido no filme.

Primeiro, pelo nome do filme em si (a orientalização do Ocidente é uma tendência que vem crescendo desde meados do século 20), assim como por um linguajar que faz referência e remete ao hinduísmo.

Segundo, pela ideia de espírito / mente de um ser "transmigrar" para outro corpo (em “Avatar”, paralelamente, num mesmo tempo e espaço; no hinduísmo, sucessivamente, noutro tempo e forma de vida).

Terceiro, e principalmente, pela noção panteísta de divindade, ou seja, um poder divino embutido na natureza, visualizado e adorado em forma de árvore especial, com a qual é possível estabelecer contato e comunicação (é pessoal), que elege seres para tarefas salvíficas, que mantém aquele mundo em equilíbrio, que move os elementos (animais, por exemplo) que compõem aquele cosmos, que toma a vida (decide quem continua a viver), que realiza o milagre de transferir efetivamente uma alma de um corpo para outro.

Quarto, pela semelhança sonora entre o nome da divindade (Eiwa) com Jeová. Seria a tentativa de alguma redefinição do Deus revelado por Jesus, segundo a Escritura? (A tendência atual não é ateísmo, mas uma forma religiosa natural, mais palatável que o Deus bíblico.) Ainda há outros aspectos, mas esses bastam para mostrar o ponto: “Avatar” está cheio de elementos teológicos, no caso, panteístas.
O contraste com o Deus da Bíblia é enorme, pois ele é o Deus Eterno, Criador, o Deus Soberano no universo (não limitado a uma lua do cosmos), o Deus que é espírito puro, o Deus Pai de Jesus Cristo (chamado por alguns hindus modernos de um avatar...), o Deus que ama e salva a sua criação entrando na história e assumindo a cruz para resgatá-la.


O Filme Avatar

Quem assistiu ao filme Avatar deve ter percebido claramente a idéia do panteísmo cósmico (Deus em tudo), principalmente na natureza. Desta forma as trevas vão preparando as mentes desapercebidas para aceitar idéias anti-bíblicas. Muitos acreditam que brevemente os anjos caídos irão realizar sinais espantosos para enganar a muitos, se possível, até mesmo os escolhidos. 
Uma mensagem nada sutil no filme Avatar, é a de que devemos nos integrar, unir com a natureza, pois Deus estaria literalmente nela. A idéia do clone 100 % humano foi substituída pela do clone híbrido, parte alienígena parte humano, que daria condições não somente de um tipo de "cura" para todos os que tivessem uma limitação física, mas também a possibilidade de vida eterna, pois poderíamos, em tese, transferir nossa mente para um corpo clonado, e no caso do sugerido claramente pelo filme, fazer voltar a andar um paralítico

James Cameron (foto à direita) revelou que o objetivo do filme Avatar é alertar as pessoas sobre os perigos que corremos com a destruição do planeta Terra, de acordo com a agência de notícias EFE. “Só temos uma Terra. Devemos nos dar conta de uma vez por todas que nosso planeta é um paraíso. Rodei ‘Avatar’ também para meus cinco filhos“, disse o diretor ao jornal alemão Bild. O cineasta norte-americano se mostrou bastante preocupado com a situação do planeta e revelou ser uma “pessoa verde”. “Nossa casa funciona com energia solar e eu dirijo um carro híbrido“, disse Cameron.

De acordo com o diretor, o grande problema da situação atual da Terra é o consumo desenfreado de energia. “Se não conseguirmos controlar esse problema, acabaremos não tendo futuro“, disse o cineasta.



No filme, o personagem de tanto utilizar o corpo do avatar já estava perdendo a noção do que era realidade e ilusão. Eu pergunto: Se uma tecnologia desse porte fosse criada em nossos dias as pessoas iriam ou não aceitá-la?
 Ao contrário do filme 2012, o autor de Avatar apresenta de uma forma indireta, pois a história não se passa no planeta terra e sim na lua Pandora, uma "solução" para os problemas ecológicos e climáticos que passamos em nosso planeta, que poderíamos chamar de o retorno ao jardim do Éden. Muitos irmãos não sabem, mas há um "sentimento" crescente no mundo por um retorno a uma vida mais simples, já estamos ficando enfadados de tanta tecnologia. Eu estou! Seria juntar o útil ao agradável.


Um outro ponto marcante no filme Avatar foi a coletividade. A individualidade em praticamente todos os aspectos deve ser rejeitada. Em outras palavras: Você não pode pensar ou agir diferentemente da maioria, deve pensar coletivamente, mundialmente, de forma totalmente globalizada. E para incutir essas idéias em nossa mente, eles a embrulharam em um romantismo futurista entre espécies diferentes, com aventura, com o proteger a natureza e outros "temperos", sem esquecermos, é claro, da tecnologia 3D criada exclusivamente para o filme que reforça ainda mais a "realidade" virtual. O filme Avatar e os outros feitos nestes tempos não são simples filmes para o nosso lazer, e nem apenas mais uma forma artística de expressão do autor sobre os fatos sociais que ocorrem no mundo, mas uma preparação para coisas que ainda não vemos, coisas essas que certamente serão contrárias a Palavra de Deus.

Pandora

No filme Avatar o nome da lua em que se desenrolou a história se chama Pandora. Que "coincidência"! Pandora é uma personagem mitológica da Grécia antiga. Ela foi a primeira mulher criada pelos deuses. Ela é uma versão pagã de Eva, mas com características semelhantes nas conseqüências de suas ações. 
Muito mais eu poderia falar sobre o Filme Avatar e os avatares da Web, mas como para isso eu teria que falar sobre os deuses da mitologia grega, do hinduísmo e da Nova Era, eu paro por aqui, pois o cerni desta notícia é entendermos que o mundo, que jaz no maligno, está enganando muitos evangélicos que, por falta de conhecimento, principalmente o Bíblico, estão cedendo as idéias do príncipe deste mundo pensando que nada tem haver isso com os planos do maligno.



O mundo traiçoeiro e maligno do filme Avatar


Meu nome é T. G., moro em São Paulo, sou evangélica e congrego na Assembleia de Deus.

Assim que o filme Avatar foi lançado, imaginei que tivesse relação com outro desenho, de história diferente, no qual o personagem principal é um "menino destinado a ser salvador do mundo", o que nós sabemos ser uma mentira, porque o único e suficiente Salvador para nós é o Senhor Jesus Cristo (João 3:17; João 14:6).

Eu, em meus pensamentos, me neguei a ver tal coisa, mas meu namorado comentou comigo, ao acaso, que a história era outra. A história de um fuzileiro que entrava no mundo de seres com a pele de tigres, todos azuis. Concordei em assistir ao filme. De fato, é uma bela produção. No entanto, senti coisas estranhas enquanto assistia. Primeiramente, é como se eu realmente estivesse dentro de Pandora, o planeta fictício do filme (e detalhe: não era a versão 3D, que é mais realista).

Eu e meu namorado não assistimos a essa versão de três dimensões porque só tinha uma entrada (Glória a Deus que não!).
Logo, dentro de mim senti o desejo de ser um dos Na'vi, pois de alguma forma eles me pareciam maravilhosos. Percebi então, que eles falavam uma língua incompreensível, e me assustei, porque só Deus sabia que males eles poderiam estar falando na língua esquisita desse tal povo Na'vi.

Por fim todas as malignidades foram reveladas, absolutamente:

- Os Na'vi tem como deusa uma árvore sagrada, Ei'wa, que parece, para eles, ser a origem e o destino final de todas as coisas. MENTIRA! Veja a verdade em Salmos 86:10; I Coríntios 8:4; João 17:3. Eles também falam no filme, que as sementes dessa árvore são sagradas. Quando uma das personagens morre, fala que "vê Ei'wa, e que ela existe".

- Eles fazem um ritual que transfere a alma das pessoas de um corpo para outro por duas vezes no filme. Nem é preciso dizer que isso é anti-Bíblico.
Saí da sala de cinema, onde muitas coisas erradas haviam sido apresentadas às pessoas durante a transmissão de Avatar. Eu nem sei quantos "Repreenda Senhor Jesus" eu disse baixinho, para expulsar aquela vontade de ser um Na'vi.

Ainda assim, quando estava fora do filme, é como se eu me sentisse mal por estar fora de Pandora, até um pouco triste.
Logo, essa sensação passou, e eu pensei em escrever para vocês, mas só me animei depois que li o depoimento de outro irmão no blog de vocês. Espero que isso ajude alguém de alguma forma


Fãs de Avatar dizem ter depressão
depois de assistir ao filme


O sucesso do filme “Avatar” tem causado um efeito diferente em alguns fãs do longa. Em diversos fóruns na internet, fãs relatam terem ficado deprimidos depois de deixarem as salas de cinema.


A causa de tanto sofrimento é o fato de Pandora, planeta mostrado no filme, não existir. Alguns internautas também se dizem decepcionados com os humanos e os mais obcecados relatam já terem até mesmo pensado em suicídio.

“Desde que fui ver ‘Avatar’ estou deprimido. Ver o maravilhoso mundo de Pandora e todos os Na’vi fez com que eu quisesse ser um deles. Já até pensei em cometer suicído, para ver se eu consigo renascer em um mundo como Pandora”, escreveu rapaz chamado Mike no site Avatar Forums.

Preocupados com mensagens deste tipo, outros usários tentam animar os fãs deprimidos dizendo para eles se divertirem com jogos de vídeo game sobre o filme e com a trilha sonora.

Outros relatam que a sensação de depressão os levou a assistir ao filme de novo: “Depois que vi o filme pela primeira vez me senti assim meio deprimido, mas fui ao cinema de novo e acho que me sinto melhor. Ver aquele mundo e querer que o meu seja igual faz de mim uma pessoa melhor”, escreveu outro internauta.


E lembre-se: A ignorância, falta de conhecimento, não nos exime das conseqüências, pois está escrito: "Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados." (Romanos 2:12)
Que Deus e Pai, por meio do Seu Espírito Santo, derrame sobre todos nós o verdadeiro entendimento e o discernimento espiritual tão necessários em nossos dias, pois Breve Jesus Cristo voltará. Que Deus nos abençoe.



Crepúsculo: Ocultismo para jovens



Crepúsculo, uma série de livros escrita pela Mórmon, Stephenie Meyer, revela que ela deve ter tido alguma ajuda de pelo menos um espírito guia apavorante. Com o segundo livro já transformado em filme, Crepúsculo é agora maior do que a Potermania e têm enganado sucedidamente milhões de jovens

A base de fãs é feita predominantemente por meninas que vem sendo atraídas para dentro de um conto sombrio de um romance entre um vampiro de 108 anos (que parece ser mais novo por que não mostra sua idade) chamado Eduard e uma adolescente chamada Bella. 

Além dos aparentes problemas com a pedofilia que esse livro apresenta, Crepúsculo é cheio de temas não bíblicos que enchem de glamour e glorificam o oculto.

Um dos temas envolve o conceito pervertido e oculto de um incubus
De acordo com os satanistas, um incubus é uma entidade sombria e sobrenatural que é capaz de manifestar-se e envolver-se em relações sexuais com uma mulher.

Obviamente, esses são dificilmente temas que Deus quer que seus filhos tenham fantasia ou glorifiquem.

Enquanto a idade e a natureza de Edward parecem ser um aviso, essa preocupação é jogada ao vento quando Meyer (autora) tenta dar a assembleia de vampiros de Edward uma impressão positiva.

Enquanto Edward e sua assembleia são descritos como vampiros em todos os sentidos, amam a escuridão e detestam a luz e possuem várias habilidades diabólicas (demoníacas) como percepção extra-sensorial e a psicografia, Meyer os descreve como demônios bondosos e dignos de confiança bem lá no fundo. 


Veja bem, embora Edward e a assembleia de vampiros bebam prontamente o sangue de animais... Supostamente, com algum controle de si mesmos, eles são capazes de resistir e não beber o sangue de humanos.

Porém,
Deus repetidamente proíbe a pratica oculta de beber qualquer tipo de sangue, como nos seguintes trechos da escritura do velho ao novo testamento dizem:

“A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.” Genesis 9:4

“Porquanto a vida de toda a carne é o seu sangue; por isso tenho dito aos filhos de Israel: Não comereis o sangue de nenhuma carne, porque a vida de toda a carne é o seu sangue; qualquer que o comer será extirpado.” Levitico 17:14

“Tão-somente o sangue não comereis; sobre a terra o derramareis como água.  Deuteronômio 12:16

Somente esforça-te para que não comas o sangue; pois o sangue é vida; pelo que não comerás a vida com a carne; Deuteronômio 12:23

Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue. Atos 15:20


Durante toda a série Crepúsculo, Edward e sua assembleia são descritos da forma mais heróica possível enquanto eles lutam em benefício dos humanos e combatem o mal que há neles próprios, tendo como contrapartes chupar sangue. 
Há, porém, algumas complicações que a relação de Edward e Bella apresenta...
Além da
enorme diferença de idade, eles devem lidar com a natureza diabólica
de Edward. 

Edward deve
lutar e vencer a própria perversa e insaciável sede de drenar e beber o sangue de Bella. Assim, ele é descrito como um nobre vampiro que, embora perigoso, ama a humanidade e quer vencer os seus próprios demônios
. 


“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!”
O vampirismo é ligado ao saber oculto



Acredita-se que os vampiros são a manifestação de entidades diabólicas, às vezes chamadas de mortos-vivos

Crepúsculo explora o sedutor, mas ilusório, tema oculto de que existem bons e maus demônios e de que a relação com as entidades ocultas é correta  e pode ajudar alguém a proteger-se dos demônios realmente maus. 
Crepúsculo é especialmente muito lido por Wiccas e neopagãos por causa dos temas ocultos e de acordo com as relações públicas positivas isso dá a ideia de boas bruxas e de uma boa assembleia de bruxas.


Tragicamente, muitas Wiccas têm sido enganadas na crença de que elas podem ter uma relação com bons espíritos e lançar feitiços bons, quando na realidade elas abriram uma porta para a opressão demoníaca e até mesmo para a possessão.

Depois que muitas Wiccas abriram a porta para o reino demoníaco, elas são, então, ensinadas que podem usar feitiços para chamar bons espíritos para protegê-las dos que são maus. 


Este herói romântico sobrenatural, cuja rede de afeto no mundo real dá estímulos suficientes a mentira oculta de que há "bons" espíritos das trevas. mecanismo tem sido efetivamente utilizado por Satanás para iludir as Wiccas, prometendo a elas o poder e ao mesmo tempo escravizando-as ao ocultismo vampiros são a manifestação de entidades diabólicas, às vezes chamadas de mortos-vivosIsaías 5:20.  


Infelizmente, o vampiro Edward, é lançado como um herói romântico sobrenatural, cuja rede de afeto no mundo real dá estímulos suficientes a mentira oculta de que há "bons" espíritos das trevas.

Muitas Wiccas, infelizmente, nunca perceberam que Satanás está representando um "policial bom e um policial mau", ou no caso delas, "um demônio bom, um demônio mau”, como se isso pudesse ocorrer. Deus revelou em Sua Palavra que os espíritos contatados por meios ocultos são maus e integrantes da rebelião original de Satanás. Efésios 6:10-12

A Palavra de Deus está cheia de avisos categóricos contra todas as formas de ocultismo, incluindo a astrologia, a feitiçaria, adivinhação, magia e bruxaria. 

 (Gen. 3:1-6; Ex. 22:18; Lev.19:26, 31-32, 20:6, 27; Deut.18:10-12; 1Sam.15:23a; 2 Kings 21:6, 23:24; I Cron.10:13; Isa. 2:6, 8:19-20, 19:3, 47:13-14; Ez.13:20-23; Dan.2:27-28, 5:15-17; Mal. 3:5; Atos 13:7-10a, 16:16-18, 19:19; Gal. 5:19-20; Apoc. 9:19-21, 21:8, 22:15, etc.)

A seguinte admoestação que Deus deu através do profeta Moisés proíbe muito do que é praticado hoje por muitos neopagãos:

Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus.

                                                                         Deuteronômio 18:10-13.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário